sábado, 28 de abril de 2012

#AcordaBrasil! > PT + CACHOEIRA + Construtora DELTA + PAC = CORRUPÇÃO

Segue um resumo de tudo o que se tem noticiado sobre mais um escândalo no Governo Federal envolvendo aliados e oposicionistas.
Elaborado por Karí Alves de nossa Comunidade do Orkut, LJTE:

► Suspeita de usar documento fraudado para vencer licitação em Brasília, a empreiteira Delta contou com o lobby da turma de Carlinhos Cachoeira.
► A Delta Construções é uma das maiores empreiteiras do Brasil. Num ranking elaborado pelo setor em 2010, ela ocupava o sexto lugar, com um faturamento anual de R$ 3 bilhões


► A Delta foi fundada em 1961, no Recife, em Pernambuco, pelo empresário Inaldo Soares, e sua ascensão é recente.
► No governo de Luiz Inácio Lula da Silva, a Delta transformou-se na empreiteira com mais negócios no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Há três anos, é a empresa que mais recebe dinheiro do governo federal.
A empreiteira é agora investigada pela Polícia Federal (PF), por suspeita de envolvimento com o bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira.




MENSALÃO II - O retorno











Foco da CPI, construtora teria rede de laranjas para lavar quase R$ 26 milhões
Investigações da PF indicam triangulação entre a Delta e a construtora Alberto e Pantoja, suspeita de simular pagamentos a pessoas que hoje negam qualquer vínculo com a empresa



Foco das investigações da CPI do Cachoeira, prestes a ser instalada no Congresso, a Delta Construções é suspeita de montar uma rede de laranjas para lavar dinheiro numa triangulação com outra construtora, a Alberto e Pantoja Construções e Transporte Ltda

. Análise da lista de beneficiários de pagamentos realizados pela Alberto e Pantoja indica que a Delta pode ter abastecido contas bancárias em nomes de pessoas que negam, publicamente, ter recebido as quantias registradas na perícia da Polícia Federal.
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,foco-da-cpi-construtora-teria-rede-de-laranjas-para-lavar-quase-r-26-milhoes,862277,0.htm



Destino de R$ 26,2 milhões da Delta, a Alberto e Pantoja fez pagamentos ►até a um cabeleireiro. ►Outras transferências tiveram como destino empresas que não funcionam no endereço registrado.
O modelo da operação e as negativas reiteradas dos supostos beneficiários indicam, segundo o Ministério Público, prática de lavagem de dinheiro nas operações que movimentaram mais de R$ 25,8 milhões entre 2010 e 2011.



Entre os principais destinatários do dinheiro do esquema está br>
► Pedro Batistoti Júnior, tecnólogo e ex-funcionário da Delta em MS. 

Laudos da PF atestam que ele teria recebido R$ 300 mil. "Se tivesse R$ 300 mil não precisaria pedir R$ 20 para comprar almoço. Não tenho nada com isso", disse.

Há nove anos trabalhando em um salão de beleza em Goiânia, o cabeleireiro Jefferson Dirceu Santos aparece na lista de destinatários dos recursos. "Que? R$ 60 mil?
Nunca recebi nada desse valor e muito menos dessas pessoas. Só podem ter usado o meu nome."



Dona da Serpes, empresa de pesquisas de opinião em Goiás, Ana Cardoso de Lorenzo, que teria recebido R$ 56 mil da Pantoja, se espantou ao ser questionada pelo Estado: 
"Você está doido? Nem conheço!" Um dos responsáveis pela empresa, o marido dela, Antônio Lorenzo, disse nunca ter ouvido falar na construtora investigada pela PF.
"Os valores, para mim, são exageradamente altos. Prestamos serviços de R$ 5 mil, R$ 7 mil. De cifra assim eu me lembraria", disse, prometendo fazer uma pesquisa ampla dos negócios anteriores para desvendar o "enigma".


  

Mensalão II - Cachoeira - O retorno





Até o distante Acre, governado há mais de 13 anos pelo PT, foi alcançado pelos tentáculos da construtora Delta, do empresário Fernando Cavendish, investigada pela Polícia Federal por supostamente ser parceira do grupo do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Em maio de 2011, o governo Tião Viana (PT) contratou a empreiteira por R$ 1,3 milhão para executar serviços de conservação, manutenção e recuperação de rodovias estaduais e federais no Estado – BR-364 (trecho Rio Branco-Sena Madureira), AC-010 (trecho Rio Branco-Porto Acre e AC-090 (trecho Rio Branco/Km 60).

O extrato do contrato foi publicado no Diário Oficial do Acre, em 31 de maio do ano passado.

Ainda em vigor, o contrato com a Delta foi assinado pelo diretor-presidente do Deracre, Marcus Alexandre Médici, pré-candidato do PT a prefeito de Rio Branco, e Franco Ferreira da Silva, pela empreiteira.






A Construtora Delta, uma das maiores empreiteiras do Brasil e a queridinha da turma do bicheiro Carlinhos Cachoeira, possuí inúmeros contratos no Piauí e faturou mais de 100 milhões de reais em obras do DNIT-PI entre os anos de 2009 a 2011

A Delta foi também a empresa que venceu a licitação para a obra de pavimentação asfáltica interligando as cidades de Porto e Miguel Alves, no valor de mais de 19 milhões reais no entanto, o contrato foi rescindido pelo DER-PI em 29 de fevereiro de 2012.



Delta obteve aumento de preço em 60% dos contratos firmados com Dnit
Alvo de CPI, construtora conseguiu aditivos que elevaram custo original de obras em R$ 400 milhões; TCU já avaliou que mais de 40% de acréscimos é exagero


21 de abril de 2012 | 22h 26
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,delta-obteve-aumento-de-preco-em-60-dos-contratos-firmados-com-dnit,863886,0.htm



Suspeita de montar uma rede de influência tanto em governos estaduais como na União, a Delta Construções obteve aditivos que alteraram o valor de suas obras em quase 60% dos contratosfirmados com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), um dos órgãos que concentram os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

De um total de 265 empreendimentos tocados pela empreiteira a serviço da autarquia responsável pelas rodovias federais, 154 sofreram mudanças no valor originalmente previsto, custando mais caro na maioria dos casos e aumentando o valor das obras em cerca de R$ 400 milhões.





Compilados pelo Estado com base em balanço do Dnit sobre os contratos com a Delta, os dados se referem às obras de manutenção, adequação, duplicação e implantação de estradas, concluídas ou ainda em andamento. Da relação, constam intervenções iniciadas de 1996 a 2012. Maior construtora do PAC, com suas atividades concentradas principalmente no setor rodoviário, a empresa conseguiu contratos de R$ 4,3 bilhões de lá para cá, dos quais....



R$ 3 bilhões já foram pagos pela União.



Leia mais sobre a roubalheira governista

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,delta-obteve-aumento-de-preco-em-60-dos-contratos-firmados-com-dnit,863886,0.htm



Delta vai saindo do caminho sem dar um pio. Ou: Jabuti sobe em árvore?

Algo de muito estranho está em curso. Há jabutis demais sobre as árvores para que consideremos tudo normal. Até outro dia, não se ouvia falar da Delta e de Fernando Cavendish. Foi VEJA quem tirou a construtora de seu espantosamente bem-sucedido ostracismo noticioso em reportagem que começou a chegar aos leitores no dia 7 de maio do ano passado. O texto informava então o vertiginoso crescimento da empresa. De empreendimento modesto, chegou, durante o lulo-petismo, à condição de Número Um do PAC. Entre uma coisa e outra, a Delta teve um consultor. Seu nome: José Dirceu.


Em entrevista à revista concedida então, os 
empresários José Augusto Quintella Freire e Romênio Marcelino Machado, que chegaram a ser sócios de Cavendish em outro negócio, não economizaram palavras. Indagados sobre o objetivo da consultoria prestada por aquele que a Procuradoria Geral da República chama “chefe de quadrilha”, foram claros:

“Tráfico de influência. Com certeza, é tráfico de influência. O trabalho era aproximar o Fernando Cavendish de pessoas influentes do governo do PT. Isso, é óbvio, com o objetivo de viabilizar a realização de negócios entre a empresa e o governo federal.”

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/delta-vai-saindo-do-caminho-sem-dar-um-pio-ou-jabuti-sobe-em-arvore/




E como Dirceu foi contratado? Justamente por intermédio da empresa de que eram sócios, a Sigma:

“A contratação foi feita por debaixo do pano, através da nossa empresa, sem o nosso conhecimento. Um dia apareceram notas fiscais de prestação de serviços da JD Consultoria. Como na ocasião não sabia do que se tratava, eu me recusei a autorizar o pagamento, o que acabou sendo feito por ordem do Cavendish.”


Prestem, agora, atenção, às considerações feitas por eles sobre duas obras nas quais a Delta estava envolvida:

Sobre a Petrobras, afirmou Quintella:

“A Delta começou a receber convites de estatais para realizar obras sem ter a capacidade técnica para isso

. A Petrobras é um exemplo. No Rio de Janeiro, a Delta integra um consórcio que está construindo o complexo petroquímico de Itaboraí, uma obra gigantesca. A empresa não tem histórico na área de óleo e gás, o que é uma exigência. Ainda assim, conseguiu integrar o consórcio..... Como? Influência política.”



Sobre o Maracanã, afirmou Romênio

“O caso da reforma do Maracanã é outro exemplo. A Delta está no consórcio que venceu a licitação por 705 milhões. A obra mal começou e já teve o preço elevado para mais de l bilhão de reais. Isso é uma vergonha. O TCU questionou a lisura do processo de licitação. E quem veio a público fazer a defesa da obra? O governador Sérgio Cabral. O Cavendish é amigo íntimo do Sérgio Cabral. A promiscuidade é total.”




A construtora — ou, mais propriamente, Cavendish — voltou a ser notícia quando um acidente de helicóptero na Bahia matou sete pessoas, entre eles, a mulher de Cavendish e a nora de Cabral. 

O governador integrava um grupo que iria comemorar o aniversário do empresário num resort.

Veio à luz, então, a espantosa proximidade da Delta com o governo do Rio. 



O caso Cachoeira começou a vir à luz em reportagem da VEJA,  que começou a chegar aos leitores no dia 3 de março.



Algo estranho…

Parece que a ordem dos eventos indica que uma maneira de “salvar” a Delta é desmontar a Delta o mais rapidamente possível
.

É visível o esforço empreendido para tirar logo a empresa do caminho — e ela sai, sem oferecer nenhuma resistência.


► a Delta já está fora das obras do Maracanã;

► a Delta já está fora das obras da Petrobras;

► Fernando Cavendish agora se afasta da empresa;

► a Corregedoria Geral da União abre processo para eventualmente declarar a sua inidoneidade -
 tinha motivos para fazê-lo desde 2010. 






VENDE-SE
DELTA CONSTRUTORA
A DELTA CONSTRUTORA dispõe de contratos Bilionários com o governo federal nas obras do PAC em todo território brasileiro, inclusive aquelas obras para as quais não tem capacidade técnica, assim como:

►Todos escândalos de corrupção em que está envolvida
►Todas licitações fraudulentas com superfaturamentos
... muito em moda no atual governo
Aproveitem a pechincha, negócio da china, imperdível ! !




Alvo da CPI, Delta já está à venda por seu novo presidente, Carlos Alberto Verdini
Segundo noticiários, a DELTA CONSTRUTORA sem crédito bancário e com problemas de caixa deixa algumas de suas obras.

Envolvida em escândalos junto a políticos e governo, denunciados após a operação Monte Carlo, a construtora ESTÁ À VENDA.


► Agravados seus problemas de caixa por conta das irregularidades constatadas em contratos com o Dnit (governo), em 2011.

► Os bancos, que já limitavam crédito à construtora, fecharam a torneira de vez.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Se não Compartilhar, poucos saberão!!!




Curta, comente e compartilhe no FaceBook e apareça aqui:

Ratings and Recommendations by outbrain