segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

UMA SOCIEDADE CONTROLADA POR CANALHAS...

Repassando um ótimo texto de Geraldo Almendra

UMA SOCIEDADE CONTROLADA POR CANALHAS

“Descobrimos que os canalhas são mais didáticos que os honestos. O 
canalha ensina mais. Os canalhas são a base da nacionalidade! Eles nos 
ensinam que a esperança tem de ser extirpada como um furúnculo maligno e
que, pelo escracho, entenderemos a beleza do que poderíamos ser!” 
(Arnaldo Jabor)

As revelações contidas na reportagem da Revista Veja, intitulada “A Sedutora e o Poder”, 
não chegam a nos surpreender.

Isto porque já temos consciência que o Brasil se apresenta ao mundo como um 
Paraíso de Patifes controlado por Covis de Bandidos que se instalaram 
dentro do poder público durante as gestões do PT.

O PT, partido nascido no submundo comuno sindical, não é nada mais do que uma 
comunidade dominada por marginais da prática política mais sórdida 
possível, além de ser liderada por gangs que atuam em todos os segmentos
do poder público: municipal, estadual e federal.

Os partidos que governaram o país antes do PT fraudaram a abertura democrática 
estabelecendo bases corruptas para o exercício do poder político e plantaram as 
sementes da degeneração moral das relações públicas e privadas.

O PT foi muito mais longe. Inversamente as suas 
promessas de resgatar a moralidade na prática da política e na 
administração pública, praticou sucessivos estelionatos eleitorais e 
aparelhou com mais de 30 mil asseclas a estrutura do Estado. Em paralelo
estruturou com absoluto sucesso o maior programa de compra de votos do 
mundo ocidental com seu assistencialismo que se aproveitou das massas de
ignorantes criadas pelos desgovernos civis que o antecederam.

Apoiando em um mentiroso discurso de resgate da moralidade e da defesa 
dos menos favorecidos o PT estruturou as bases para a transformação do poder 
público em um covil de bandidos para ninguém botar defeito na sua 
capacidade de aparelhamento do Estado, de ludibriar descaradamente as 
vítimas da falência educacional e cultural do país, e de subornar – 
sendo este o seu maior feito – milhares de esclarecidos canalhas que 
hoje lhe dão a sustentação política para sobreviver, tendo disseminado a
cultura do ilícito como forma predominante do exercício do poder 
político, social e econômico.

A reportagem, redundante em sua essência, mostra, mais uma vez, o poder 
público como um ambiente degenerado pela prostituição de valores e 
atitudes rigorosamente desonestas, com seus tentáculos se multiplicando 
sem controle, pois as síndromes dos telhados de vidro e dos rabos presos
passaram a ter força e vida próprias como um vírus mortal que vai se 
apoderando de um corpo, eliminando lentamente todas as suas 
resistências.

Chegamos a um inacreditável ponto em que mesmo o 
Ministério Público e a Polícia Federal, apesar de terem a força da 
investigação, comprovação e registro dos crimes praticados, estão 
paralisados na condução das ações punitivas necessárias sendo que o 
motivo principal dessa paralisia é o domínio do poder Judiciário por uma
estrutura apodrecida, corporativista e corrompida, entre muitos outros 
adjetivos bem piores com que esse espúrio poder poderia ser qualificado.

Os tentáculos da pior máfia de poder público, muito mais do que se poderia
imaginar, estão solidificados no organograma do Estado e as únicas 
mudanças que observamos são as trocas dos bandidos que assumem postos 
sempre que alguém precisa ser substituído para não comprometer a 
continuidade do projeto de poder do PT: mudam-se os nomes, contudo, pela
impunidade, cada vez maior, são fortalecidas as gangs instaladas no 
poder público.

Essa, como várias outras reportagens investigativas honestas 
passadas nos remetem a uma única conclusão: O PT é um partido
dominado por bandidos de todos os matizes e os poucos que 
não tinham esse perfil bem definido já saíram do partido ou estão em 
mutação disfarçada.

Os atuais pilares do poder público do nosso 
país são a mistura de sexo com poder, da corrupção e de suborno, com 
bilhões desviados das finalidades com que foram pagos pelos 
contribuintes.

Existem apenas quatro saídas para o nosso país se livrar desse estado
patológico do banditismo que domina o poder público.

primeira seria uma união entre o Ministério Público, a Polícia Federal e
o Poder Judiciário que por razão óbvia está descartada: o apodrecimento
moral do Poder Judiciário com cada vez mais juízes de todas as 
instâncias sendo denunciados por serem bandidos disfarçados de toga ou 
por serem togados que aceitaram ser bandidos.

A segunda uma intervenção civil-militar para destituir as quadrilhas instaladas
dentro do poder público que também está descartada, pois a omissão, 
cumplicidade ou omissão de comandantes das Forças Armadas com a união 
dos milhares de canalhas esclarecidos que dão sustentação ao Regime 
Fascista sendo imposto pelo PT, desqualifica praticamente esta opção.

A terceira uma revolta civil, também descartada, tendo em vista que a 
fusão da ignorância das massas com os mais de 30 milhões de votos que 
semanalmente o Big Bacanal do Brasil é brindado nos demonstra 
inequivocamente que o país foi prostituído pelo petismo, não 
apresentando nenhuma trilha para que a revolta individual possa ser 
unificada para virar uma ação coletiva transformadora fundamentada em 
cidadania ou patriotismo.

A quarta seria uma revolta crescente de
categorias profissionais através de greves que já demonstra seu 
potencial fracasso diante da união das forças que controlam o Covil de 
Bandidos que se apresentam sempre que necessário para criminalizar 
qualquer movimento relevante, especialmente seus líderes. Enfatize-se o 
abandono que os líderes ficam mesmo que consigam vitórias para suas 
classes: simplesmente são humilhados e transformados em vândalos e 
bandidos.

O PT que está governando o Brasil não é o mesmo que 
dissimulou uma luta pela abertura democrática, mas sim o verdadeiro PT 
que sempre soube onde queria chegar: transformar o país em uma Cuba 
Continental através de uma mentira de socialismo fracassado que se 
apresenta como uma crescente fusão de um Regime Fascista com um 
Neocapitalismo de Estado para dividir com a iniciativa privada 
acovardada, cúmplice, ou submissa, a exploração, a extorsão, e a coerção
da sociedade para sustentar um poder público aparelhado e dominando por
bandidos de todos os tipos, resultando em um enriquecimento cada vez 
das oligarquias e burguesias públicas e privadas apátridas que se 
aproveitam do afundamento do país no pântano da degeneração moral para 
multiplicarem seus patrimônios familiares.

Este parece ser cada vez mais o Brasil do presente e do futuro.

Geraldo Almendra

12/02/2012


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Se não Compartilhar, poucos saberão!!!




Curta, comente e compartilhe no FaceBook e apareça aqui:

Ratings and Recommendations by outbrain